Papa presidirá Vigília de oração pelos que sofrem

No próximo dia 5 de maio, na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco presidirá uma Vigília de oração. A vigília “Para enxugar as lágrimas” dos que sofrem uma dor física ou espiritual. Na oportunidade estará exposto o relicário de Nossa Senhora das Lágrimas de Siracusa para a veneração dos fiéis. A vigília ocorre por ocasião do Jubileu da Misericórdia.EnjugarLegrimas

Segundo a Rádio Vaticano, “consolar os afligidos, é uma das sete obras de misericórdia espirituais”. Nesse sentido, este evento permitirá “enxugar os rostos banhados por lágrimas de um sofrimento físico ou espiritual, trazendo consolação e esperança. Este evento Jubilar quer ser sinal visível da misericórdia do Pai, que estende suas mãos para enxugar as lágrimas de uma mãe ou de um pai que perderam um filho, de um filho que perdeu um pai, de quem enfrenta uma doença ou perdeu o trabalho ou não encontra algum, de quem vive situações de discórdia na família e de quem sente solidão porque tem idade avançada, de quem sofre um desconforto existencial, de quem sofreu algum tipo de injustiça, de quem perdeu o sentido da própria vida ou não consegue encontrar algum. São tantos, e de todos os tipos, os pequenos ou grandes sofrimentos que cada um traz dentro de si, mas todos certamente são verdadeiros e nos levam falta de esperança e de confiança”.

Durante a Vigília, será exposto o relicário de Nossa Senhora das Lágrimas de Siracusa, ligado ao fenômeno ocorrido em 29 de agosto e em 1º de setembro de 1953, na casa de um jovem casal de esposos, Angelo Iannuso e Antonina Giusto, quando um quadro de gesso, que representava o Imaculado Coração de Maria, derramou lágrimas humanas. O relicário contém parte das lágrimas brotadas milagrosamente da imagem de Nossa Senhora.

Fonte: ACI Digital

Igreja terá mais um santo e novos beatos e veneráveis

Pe. Fusco
Pe. Fusco

Depois de receber em audiência na última terça-feira, 26 de abril, o Cardeal Ângelo Amato, SDB, Prefeito da Congregação para a Causa do Santos, o Papa Francisco ordenou a promulgação de vários decretos que abrem caminho para a beatificação de 38 mártires albaneses. Além disso, foram publicados os decretos da canonização do Beato Pe. Alfonso Maria Fusco e de beatificação do Pe. Giovanni Sullivan e de Giuseppe Antón Gómez, além de decretos considerando veneráveis.

Albaneses

O decreto reconhece o martírio dos Servos de Deus Vincenz Prennushi, OFM, bispo albanês, e seus 37 companheiros mortos entre os anos de 1945 e 1974.

Eles simbolizam aqueles cristãos que, na Albânia, aceitaram o martírio, mas não renegaram a fé em Cristo e na Igreja.

Dom Prennushi preferiu o cárcere e a tortura infligida pelo regime de Enver Hoxha do que criar uma igreja nacionalista separada de Roma e do Papa, conforme ordenado pelo comunista Hoxha.

O prelado teve o mesmo destino de Dom Gasper Thaci, também trucidado pelo regime que queria apagar os sinais da Fé do país.

Lembrando esses episódios, o Papa Francisco, durante a missa celebrada em Tirana, em setembro de 2014, evocando o muro do cemitério de Scutari, local onde eram feitas as execuções e onde foram martirizados muitos sacerdotes e frades, afirmou:

“Quantos cristãos não se curvaram diante das ameaças, mas prosseguiram sem titubear no caminho empreendido”…

Segundo informa o jornal dos bispos da Itália, Avvenire, um outro bispo, Dom Fran Gjini, padres diocesanos, religiosos franciscanos e jesuítas, um seminarista, uma aspirante de 22 anos e três leigos estão entre os mártires reconhecidos pela Igreja.

Mas estes não foram os únicos mortos pelo regime comunistas. Sabe-se que após a segunda Guerra Mundial (1945) até 1985 foram martirizados pelo “primeiro estado ateu do mundo” um total de sete bispos, cento e onze padres, 10 seminaristas e oito religiosas.

Outros nomes ainda figuram na lista que foi publicada pelo Vaticano.

Canonizado

Será canonizado o Beato Pe. Alfonso Maria Fusco, sacerdote diocesano, Fundador da Congregação das Irmãs de São João Batista. Ele nasceu em Angri, Província de Salerno, Itália, em 23 de março de 1839, e faleceu em 6 de fevereiro de 1910.

Beatificados

– Pe. Giovanni Sullivan sacerdote irlandês da Companhia de Jesus, nascido em 8 de maio de 1861 e morto em 19 de fevereiro de 1933.

– Giuseppe Antón Gómez, monge beneditino e seus 3 companheiros, mortos em 1936.

Veneráveis

Serão considerados Veneráveis:

– O coreano Pe. Thomas Choe Yang-eop sacerdote diocesano, filho de dois mártires. Ele nasceu em 1º de março de 1821 e morreu em 15 de junho de 1861.

– Pe. Sosio Del Prete da Ordem dos Frades Menores, fundador da Congregação das Pequenas Servas de Cristo Rei, nascido em 28 de dezembro de 1885 e morto em 27 de janeiro de 1952;

– Pe. Venanzio Katarzyniec da Ordem dos Frades Menores Conventuais. Ele nasceu em 7 de outubro de 1889 e morreu em 31 de março de 1921.

– Maria Conselho do Espírito Santo (no século Emilia Pasqualina Addatis), Fundadora da Congregação das Servas de Maria das Dores de Nocera (Salerno), nascida em 5 de janeiro de 1845 e morta em 11 de janeiro de 1900.

– Maria da Encarnação (no século Caterina Carrasco Tenório), Fundadora da Congregação das Irmãs da Terceira Ordem de São Francisco do Rebaño de María. Ela nasceu em 24 de março de 1840 e morreu em 24 de novembro de 1917.

– Maria Laura Baraggia, Fundadora da Congregação das Irmãs da Família do Sagrado Coração de Jesus, nascida em 1° de maio de 1851 e morta em 18 de dezembro de 1923.
– Ilia Corsaro, Fundadora da Congregação das Pequenas Missionárias Eucarísticas. Ela nasceu em 4 de outubro de 1897 e morreu em 23 de março de 1977.

– Maria Montserrat Grases García, leiga da Prelazia da Santa Cruz e Opus Dei. Ela nasceu em 10 de julho de 1941 e morreu em 26 de março de 1959. (JSG)

Informações: Gaudium Press

Padre da Arquidiocese lança livro durante 16º ENP

Do portal a12

“A alegria faz parte da identidade de um Presbítero”, diz Padre Jésus Benedito dos Santos sobre a missão do Presbítero, relatada em seu novo livro Pérolas nas mãos de Deus. O livro lançado no último domingo (24) no 16º Encontro Nacional de Presbíteros apresenta o Presbítero como alguém que vive a plenitude do amor de Deus e se torna um portador de sonhos e esperanças. Segundo o autor, a proposta do livro é trabalhar a questão de o presbítero ser um tesouro nas mãos de Deus.

PeJésus_livro_16ENP1Uma obra completa, com caminhos e direcionamentos para o exercício do ministério, a partir do Pontificado do Papa Francisco. Dividida em duas partes, a primeira parte da obra trata sobre fé e sonho. Padre Jésus afirma que um presbítero sem fé pode até ser um bom administrador, mas não agradará a Deus, não conseguirá ser um pastor segundo o Seu coração. Ainda na primeira parte, o autor fala sobre a importância de ter um sonho como projeto de vida, principalmente para abraçar esse ministério. A segunda parte trata diretamente sobre a alegria como identidade de um Presbítero. “Um presbítero triste não vai conseguir evangelizar e levar a mensagem de Cristo”, afirma o autor.

“A alegria no testemunho do Evangelho” é o tema do 16º Encontro Nacional de Presbíteros, que reuniu aproximadamente 550 padres de todas as Dioceses do Brasil e convidados de outros países no Santuário Nacional de Aparecida.

Padre Jésus Benedito dos Santos é autor de Pérolas nas Mãos de Deus, O Presbítero Católico e Novo Presbítero católico sob a mística do cuidado, publicados pela Editora Santuário.

Padre partilha conclusões do 16º Encontro de Presbíteros

O coordenador da Pastoral Presbiteral da Arquidiocese de Pouso Alegre, Cônego Simão Cirineo Ferreira, partilhou nesta terça-feira, 26, sobre suas impressões e as reflexões durante o 16º Encontro Nacional de Presbíteros (ENP). O evento, que ocorreu em Aparecida, contou com a participação de 564 pessoas, sendo 537 presbíteros representando o presbitério de 226 dioceses, 16 Bispos referenciais e cardeais, vice-presidente da CNBB, Dom Murilo Krieger, e o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni d’Aniello, além de 11 convidados. Da Arquidiocese de Pouso Alegre participaram, além do Cônego Simão, os padres Mauro Ricardo de Freitas, Reinaldo dos Santos e Jésus Benedito dos Santos, este último tendo sido convidado como assessor.

O 16º ENP teve como tema “Presbíteros do Brasil: a alegria no anúncio do Evangelho” e como lema o versículo bíblico “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21, 5).

Segundo cônego Simão, a carta emitida aos presbíteros no final do encontro vem reafirmar a necessidade do padre testemunhar a alegria do serviço à Jesus Cristo.

“O encontro aconteceu de forma intensa. Tivemos momentos de oração, momentos de celebrações, partilha por grupos e também das realidades do Brasil. O encontro nacional é uma riqueza porquê você conhece um pouco as angustia e também os desafios. É um retrato da realidade da Igreja no Brasil. Nós sentimos a alegria de participar e partilhar, e quem sabe, incentivar os nossos padres para que tomem conhecimento do que foi refletido. Concluindo o encontro, foi escrita uma carta que será partilhada com todos os padres do Brasil. A carta mostra que o anúncio do Evangelho traz a alegria para o presbítero. A alegria é razão de esperança para o nosso povo e nós, padres, somos melhores quando caminhamos juntos. O presbítero deve ser o profeta da alegria, mesmo numa realidade marcada por tantas contradições, é chamado a ser profeta neste mundo. Somos enviados, assim como Maria, que foi visitar Isabel, e anunciou com a vida a alegria de servir a Deus”, afirmou.

16ENP_3

O coordenador da pastoral presbiteral da Arquidiocese ainda lembrou que no Brasil existem, aproximadamente, 24 mil padres, mas que estão mal distribuídos, já que a maioria se encontra nas regiões sul e sudeste do país.

“A maioria dos padres é do clero diocesano e são padres novos, e isso é um sinal de esperança. Encontramos situações que podem levar a radicalismos, tanto de um lado para outro. Claro que à medida que o presbítero toma consciência da sua vocação, do seu ser presbítero em comunhão com o povo, com o Bispo, com a Igreja, esse presbítero vai sendo testemunha da alegria, se realizando na sua vocação. O mundo necessita do padre. O padre vai ser sempre sinal de esperança para a comunidade, claro que quanto mais unido a cristo, mais vai sendo testemunha do Reino para o povo”, finalizou.

Na apresentação do livro de estudos para o 16º ENP, o bispo referencial dos Presbíteros, Dom Juarez Sousa da Silva, afirmou:

“Alegria na vida dos discípulos, tema presente da Palavra de Deus, historicamente negligenciada, tem sido resgatada nos últimos tempos, principalmente a partir da Conferência de Aparecida (2007), que dedicou mais do que um capítulo inteiro, nada menos do que trinta e cinco parágrafos, afirmando que ‘a alegria do discípulo (…) é uma certeza que brota da fé, que serena o coração e capacita para anunciar a boa nova do amor de Deus’ (29). Sentimo-nos respaldados pelo ensinamento de nosso querido papa Francisco, que logo no início do seu Pontificado, escreveu uma Exortação Apostólica, intitulada, A Alegria do Evangelho, sobre a evangelização no mundo atual, recomendando que aquela possui um significado programático e tem consequências importantes”.

 

 

 

 

 

Imagem peregrina é recebida por mais uma Paróquia em PA

Agora foi a vez da Paróquia São Cristóvão, em Pouso Alegre, receber a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que desde fevereiro vem visitando as paróquias da Arquidiocese de Pouso Alegre dentro do projeto “300 anos de bênçãos”. Recepcionada no último sábado, 23 de abril, ela fica uma semana em cada Paróquia, obedecendo uma escala de visitas às comunidades e instituições localizadas dentro do território paroquial.

Representantes da Paróquia São Cristovão foram até a Paróquia Santo Antônio, também em Pouso Alegre, recepcionar a imagem. Em carreata percorreram algumas ruas da cidade para, então, juntos com centenas de fiéis, acolherem a Imagem de Nossa Senhora na Igreja Matriz. Um momento bonito de devoção e fé.

O pároco, padre Fábio de Souza Leão, presidiu a Eucaristia, a qual foi concelebrada pelo padre Ivan Júnior.