Bento XVI deixa aos cardeais a faculdade de antecipar o Conclave

renúnciaFoi publicada nesta segunda-feira, 25 de fevereiro, a Carta Apostólica de Bento XVI em forma de Motu Proprio “Normas nonnullas”, sobre algumas modificações nas regras relativas à eleição do Romano Pontífice. No documento, Bento XVI faz algumas alterações nas normativas precedentes para “garantir o melhor desempenho de respeito, mesmo com ênfase diferente, da eleição do Sumo Pontífice, e de uma mais correta interpretação e aplicação de algumas disposições.

“Nenhum cardeal eleitor poderá ser excluído tanto da eleição ativa quanto da passiva por nenhum motivo ou pretexto, exceto conforme previsto nos números 40 e 75 da Constituição Apostólica Universi Dominici Gregis”, afirma Bento XVI. Foi estabelecido que a partir do momento em que a Sé Apostólica estiver legitimamente vacante, espera-se quinze dias para ter início o Conclave.

O Papa deixa ao Colégio Cardinalício a faculdade de antecipar o início do Conclave se consta da presença de todos os cardeais eleitores, como também a faculdade de prolongar, se existirem motivos graves, o início da eleição por alguns outros dias. Passados ao máximo vinte dias do início da Sé Vacante, todos os cardeais eleitores presentes devem proceder à eleição.

Especificam-se as normas para o sigilo do Conclave: “Todo o território da Cidade do Vaticano e também a atividade ordinária dos escritórios dentro de seu âmbito deverão ser regulados, no dito período, a fim de garantir a discrição e o desempenho livre de todas as operações ligadas à eleição do Sumo Pontífice. Em particular deverá ser previsto, com a ajuda de prelados clérigos, que ninguém se aproxime dos cardeais eleitores durante o percurso da Casa Santa Marta ao Palácio Apostólico Vaticano.

Todas as pessoas que por qualquer motivo e em qualquer tempo ficarem sabendo do que diretamente ou indiretamente concerne aos atos relativos à eleição, sobretudo em relação às cédulas na própria eleição, são obrigadas ao segredo absoluto com qualquer pessoa que não faça parte do Colégio dos Cardeais eleitores. Para esse objetivo, antes do início das eleições, eles deverão fazer juramento segundo modalidades precisas na consciência de que uma sua infiltração levará a excomunhão “latae sententiae”, reservada à Sé Apostólica.

Foram abolidas as eleições por aclamação e por compromisso. A única forma reconhecida de eleição do Romano Pontífice é a de voto secreto.

“Se as votações das quais nos números 72, 73 e 74 da Constituição Apostólica Universi Dominici gregis não terão êxito, ficou estabelecido que se dedique um dia de oração, reflexão e diálogo. Nas votações sucessivas, “terão voz passiva somente os dois nomes que na votação precedente obtiveram o maior número de votos, nem poderá retirar-se da disposição que para a eleição válida, mesmo nestes votos, é exigida a maioria qualificada de pelo menos dois terços dos votos dos cardeais do presentes e votantes. Nessas votações, os dois nomes que têm voz passiva não têm voz ativa”.

“Realizada canonicamente a eleição, o último dos Cardeais diáconos chama na sala da eleição o secretário do Colégio Cardinalício, o mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias e dois Mestres de Cerimônias; então o Cardeal Decano, ou o primeiro dos cardeais por ordem e idade, em nome de todo o Colégio dos eleitores pede o consenso do eleito com as seguintes palavras: Aceita a sua eleição canônica como Sumo Pontífice? E apenas recebido o consenso ele pergunta: Como gostaria de ser chamado? Então o Mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias, atuando como tabelião e as tendo como testemunhas dois Mestres de Cerimônias, redige um documento sobre a aceitação do novo Papa e o nome tomado por ele”.

 

Com informações da CNBB

No último Ângelus, Bento XVI diz que 'vai continuar servindo a Igreja'

Bento XVI durante oração neste domingo (Foto: Alberto Pizzoli/AFP)
Bento XVI durante oração neste domingo (Foto: Alberto Pizzoli/AFP – junto ao portal G1)

O Papa Bento XVI realizou neste domingo, 24, seu último Ângelus, em que ofereceu sua bênção aos fiéis.

“O senhor me chama para subir o monte para me dedicar a oração. Vou continuar servindo a Igreja, com o mesmo amor”, afirmou o Papa.

Em mensagem lida antes da oração do Ângelus, Bento XVI refletiu sobre um trecho do Evangelho e disse que continuará a servir a Igreja “com o mesmo amor, mas de modo adequado às minhas forças e à minha idade”.

Milhares de pessoas comparecem à praça de São Pedro para a Hora do Ângelus. De acordo com a Santa Sé, quase 200 mil pessoas estiveram presentes durante audiência dominical, na qual Bento XVI rezou o Ângelus na janela de seus aposentos no Palácio Pontifício, no Vaticano.

No final, o Papa se despediu em português. “Obrigado pela vossa presença e todas as manifestações de afeto e solidariedade aos que estão me acompanhando nesses dias.”

 

Com informações do Portal G1

Comissão sociotransformadora reúne políticos eleitos

DSCN0527Vereadores e prefeitos eleitos de diversas cidades da Arquidiocese estão reunidos durante todo este domingo, 24, em Pouso Alegre, para um encontro organizado pela Comissão Arquidiocesana Sociotransformadora.

Segundo padre Ivan Paulo Moreira, membro da Comissão, esse encontro vem dar continuidade aos trabalhos iniciados no período pré-eleitoral e quer ser um motivador para o exercício da fraternidade e da justiça.

“A importância desse encontro é dar continuidade nos passos dados, uma vez que já nos reunimos, no ano passado, com pré-candidatos, candidatos e agora os que foram eleitos. Queremos despertar eDSCN0534 conscientizar os políticos de que eles são legisladores e governantes na prática da justiça, do bem comum e da fraternidade”, afirmou.

Veja mais fotos no facebook da Arquidiocese

As palestras ficaram sob a responsabilidade do professor da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Márcio Tangerino, e do Deputado Estadual Marco Aurélio (PT-SP).

O encontro começou por volta das 09h e continuou até às 16h, com a avaliação do encontro.

 

Veja fotos

Pe. Marco Aurélio é nomeado bispo de Itabira-Fabriciano

Pe.MarcoAurelio1O padre Marco Aurélio Gubiotti, filho da Arquidiocese de Pouso Alegre, foi nomeado nesta quinta-feira, 21, pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, como o mais novo bispo de Itabira-Fabriciano.

A notícia foi oficializada nesta manhã pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, ao vivo, pela Rádio Difusora de Pouso Alegre.

Padre Marco Aurélio atualmente é pároco na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Pouso Alegre, e também professor na Faculdade Católica de Pouso Alegre.

Pe. Marco Aurélio é natural de Ouro Fino e foi ordenado diácono no dia 19 de dezembro de 1987. A ordenação presbiteral se deu no dia 14 de janeiro de 1989.

A sua ordenação episcopal será no dia 26 de maio, em Ouro Fino.

Biografia:

Padre Marco Aurélio Gubiotti é mineiro de Ouro Fino (MG), e tem 49 anos de idade. Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, e a teologia no Instituto Teológico Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté (SP). Foi ordenado presbítero em 1989, e exerceu a missão paroquial nas paróquias  de São Caetano em Brasópolis, Santo Antônio em Jacutinga, Nossa Senhora Aparecida em Tocos do Moji, São Sebastião em São Sebastião da Bela Vista e  Nossa Senhora de Fátima em Santa Rita do Sapucaí.

Obteve o título de Mestre em Estudos Bíblicos pela Faculdade Nossa Senhora da Assunção, de São Paulo (SP). Colaborou com a formação no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre e foi diretor do Instituto Teológico Interdiocesano São José (2000 a 2005) e da Faculdade Católica de Pouso Alegre (2006 a 2009). Atualmente, padre Marco Aurélio era pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Pouso Alegre.

Experiência missionária em Cachoeira do Arari – Pará

IMG_0856_800x600Entre os dias 01/02 a 28/02 nós, Edpo Francisco Campos e Marcos Eduardo Caliari, Seminaristas Estagiários, estamos realizando uma experiência missionária junto a nossa Diocese Irmã de Ponta de Pedras, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Cachoeira do Arari – Pará, onde estão os Padres Fabiano e Leandro, filhos de nossa Arquidiocese.
Nossa experiência nestas terras marajoaras, tem por objetivo conhecer a realidade, tanto da cidade, como das comunidades ribeirinhas. Estamos realizando ainda um trabalho de formação dos Catequistas da Paróquia, realizando também visitas nas Comunidades Ribeirinhas, encontro com Casais da Pastoral Familiar e celebrações em algumas comunidades urbanas.
Tivemos ainda a possibilidade de participar da Assembleia Paroquial, no dia 03/02, a qual utilizou a dinâmica dos frutos bons e maus, como forma de avaliar os trabalhos e planejar as ações para o ano de 2013, como prioridades ficaram definidas: Família, Juventude, Catequese e Dízimo.
Tem sido uma oportunidade de ver a realidade bem de perto. Sentir Deus presente nos rostos deste povo, que caminha com suas dificuldades, mas constrói o Reino de Deus nestas terras.

Confira mais fotos sobre as missões no facebook: http://pepaulo.tk/YCCXYm

 

Texto e fotos: Seminaristas Edpo Campos e Marcos Caliari